Por que utilizar madeira tratada?

eucalipto reflorestamentoSão vários os motivos pelos quais se pode responder à pergunta: Por que utilizar madeira tratada?

A começar por serem consideradas substitutas naturais às madeiras nativas em um processo ecologicamente correto, uma vez que as madeiras utilizadas são exclusivamente provenientes de reflorestamento renováveis e de curto ciclo de renovação. A madeira tratada seja pinus ou eucalipto, sempre que utilizadas em suas mais diversas aplicações no meio rural ou urbano em construções civis, implica que uma madeira nativa, foi poupada, permanecendo intocada em nossas florestas naturais.

Podemos dizer que o valor agregado da madeira tratada vai além da garantia de durabilidade, que após o processo de tratamento, tem vida útil em média maior que 20 anos, contra os menos de três anos de durabilidade de uma estaca sem tratamento, evitando assim custos com reposições e recontratação de mão de obra.

A madeira tratada tem seu custo final cerca de 40% menor que madeiras nativas, também chamadas Madeira de Lei.

A utilização de madeira tratada em construções, cujo tratamento é eficaz e não polui o meio ambiente, são harmônicas e aconchegantes, proporcionam obras limpas e secas e ainda economia de tempo e tempo é dinheiro, não?

Notas extras:

1-Durante a fase de crescimento, a árvore seqüestra dióxido de carbono e água, e produz oxigênio puro, água e carboidratos.

2- Na fase de produção (corte, beneficiamento e tratamento) a madeira possui um índice baixíssimo de consumo energético se comparado a produção de outros materiais

3- O tratamento confere a madeira uma longa vida útil depois de aplicada, e, portanto não precisará ser substituída

Saber mais sobre o processo de tratamento
Porque eu optaria por utilizar madeira tratada ao invés de madeira nativa?

Há diversos argumentos para a sua opção pela madeira tratada.

Primeiramente a consciência ecológica, que ao optar pela madeira ecológica, você está evitando o desmatamento de um ecossistema rico em fauna e flora, que invariavelmente sofre com os acessos para se alcançar a árvore adulta, e que esmaga as árvores vizinhas quando derrubada. As árvores nativas possuem ciclo lento de crescimento, muitas vezes de centenas de anos. A distância das florestas nativas dos centros consumidores geralmente é grande, acarretando queima de combustíveis fósseis para transporte.

A durabilidade da madeira nativa é grande, porém não pode ser garantida, visto que sua estrutura fisiológica apresenta aproximadamente 30% de alburno (parte mais clara e mole, com grande quantidade de água e nutrientes, e por conseqüência atrativa a cupim e fungos decompositores).

A madeira ecológica é plantada (reflorestada) em regiões próximas aos centros consumidores, manejadas racionalmente e monitoradas contra incêndios, extraídas mecanicamente por operadores treinados e bem remunerados, certificadas pelos órgãos ambientais responsáveis, e processadas por empresa legalmente habilitada, credenciada, e socialmente responsável.

A madeira tratada custa mais do que a madeira nativa?

Não, a madeira tratada pode ter um custo até 50% menor do que a madeira nativa, para a mesma aplicação, caso a madeira nativa tenha procedência legal e de acordo com políticas sócio-ambientais semelhantes às empregadas na indústria da madeira tratada.

As madeiras de Pinus sp, Eucaliptus sp resistem se aplicadas em uma cobertura com telhas de concreto?

Sim, essas madeiras resistem igualmente ou melhor do que madeiras nativas (de lei). Basta-se que as normas técnicas sejam atendidas. A TWBrazil elaborou, e distribui aos clientes e distribuidores uma norma específica para dimensionamento de coberturas utilizando-se madeira ecológica (madeira tratada). Esta norma está disponível na internet, em www.twbrazil.com.br/normas, sob o título TWB0003. Nesta norma há um anexo, que permite ao construtor ou carpinteiro dimensionar a distância entre ripas, caibros, terças, enfim, as características para a execução de uma cobertura segura, ecológica, bonita e duradoura.

Compartilhar: